O que é a Fibromialgia

fibromialgia-700x460“A fibromialgia é uma síndroma crónica caracterizada por queixas dolorosas neuromusculares difusas e pela presença de pontos dolorosos em regiões anatomicamente determinadas. Outras manifestações que acompanham também as dores são a fadiga, as perturbações do sono e os distúrbios emocionais. Alguns doentes queixam-se de perturbações gastrointestinais.

Há várias descrições da doença desde meados do século XIX mas apenas foi reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como doença no final da década de 70.

Sofrem da doença de 2 a 8% da população adulta dependendo dos países.

Da população atingida, entre 80 a 90% dos casos são mulheres com idade entre os 30 e os 50 anos.

A DOR NA FIBROMIALGIA

O sintoma mais importante da fibromialgia é a dor, que pode afectar uma grande parte do corpo.

Em certas ocasiões, a dor começa de forma generalizada, e em outras numa área como o pescoço, ombros, região lombar etc.

A dor da fibromialgia pode ser descrita como queimadura ou mal estar. Às vezes podem ocorrer espasmos musculares .

Com frequência, os sintomas variam em relação à hora e ao dia , podendo ter maior incidência matinal, agravando-se com a actividade física, com as mudanças climáticas, com a falta de sono e o stress, etc.

Acredita-se que a doença seja devida a uma perturbação dos mecanismos da dor, nos fusos neuromusculares, não havendo propriamente lesão de qualquer órgão, nomeadamente músculos ou articulações, podendo nalguns casos ser altamente invalidante.

OUTROS SINTOMAS E ASPECTOS DA FIBROMIALGIA

Além da dor a fibromialgia pode causar sensação de formigueiro e inchaço nas mãos e pés, principalmente ao levantar da cama assim como ocasionar rigidez muscular.

Outra alteração da fibromialgia associada à dor é a fadiga, que se mantém durante quase todo o dia com pouca tolerância ao esforço físico.

Quando o sintoma Dominante é a Fadiga a doença tem sido designada por Síndroma da Fadiga Crónica.

As pessoas com fibromialgia queixam-se com frequência de ansiedade, às vezes há depressão, perturbações da atenção, concentração e da memória.

Alguns doentes têm queixas gástricas e cólon irritável.

Cerca de 70% dos doentes com fibromialgia queixam-se de perturbações do sono, piorando as dores nos dias que dormem pior.

Os registos electroencefalográficos podem apresentar alterações em relação com as perturbações do sono.

Há relatos de casos de fibromialgia que começam depois de uma infecção bacteriana ou viral, um traumatismo físico ou psicológico.

Existem estudos que mostram que pessoas com esta doença, apresentam níveis baixos de algumas substâncias importantes, particularmente a serotonina e níveis elevadas de proteína P relacionados com a dor.

DIAGNÓSTICO

Dado que não existem exames ou análises que permitam a confirmação do diagnóstico, este é feito com a história clínica, a observação médica pondo em evidência pelo menos 12 de 18 pontos dolorosos representados nas figuras ao lado, associados à fadiga, às perturbações do sono e às alterações emocionais. Na Síndroma da Fadiga Crónica sem dores não há pontos dolorosos o que torna a situação muito mais aleatória.”

Associação Portuguesa de Doentes com Fibromialgia
Fonte http://www.apdf.com.pt/o_que_e.php

15 dicas para libertar a sua mente

Fonte: google

Fonte: google

“O mundo de stress, preocupações, projectos, afazeres e ruídos que temos diariamente de enfrentar, inflige-nos uma mente caótica e desorganizada, que muitas vezes parece estar a arrebentar pelas costuras. Uma mente que, por vezes, não consegue encontrar aquela calma que desesperadamente procuramos. Nos dias que correm, se há alguma coisa que precisa de desanuviar, é o nosso cérebro. Mas como fazê-lo? Os nossos pensamentos não estão simplesmente aí deitados, à espera de uma varinha mágica para os colocar ordeiramente nos seus devidos lugares.

O nosso cérebro é um órgão complicado e complexo, coberto de camadas e camadas (conscientes e inconscientes) de recordações boas e más, traumas diversos, alegrias inesquecíveis, trivialidades do quotidiano, reflexões profundas e segredos escondidos. Uma teia tão densa que muitas vezes até os psicanalistas têm dificuldade em decifrar.

E então como é que nós vamos conseguir pôr ordem no “andar de cima”? Na realidade é muito simples: por isso mesmo é que lhe chamamos simplicidade. E simplificar é tornar algo menos complexo, é descomplicar.

Pode começar por clarear a mente com pequenas acções, gestos simples que terão, sem dúvida, um efeito positivo. Como já foi aqui mencionado várias vezes, as coisas pequenas podem fazer uma grande diferença, principalmente se forem utilizadas em conjunto. Experimente algumas das nossas sugestões e veja o que funciona melhor para si e para a sua mente.

  1. Respirar. Tão simples, tão eficaz. Respire fundo várias vezes, concentrando-se lentamente na sua própria respiração – siga atentamente o ritmo inspirar-expirar. O seu efeito é altamente tranquilizador e à medida que se vai concentrando neste movimento tão básico, os pensamentos parecem desvanecer, dando lugar à claridade mental.
  2. Anotar. Quantos vezes não ouviu alguém dizer “tenho a cabeça cheia”? E quantas vezes não proferiu esta expressão? Se tem a cabeça cheia de pensamentos, ideias e coisas para fazer, pegue num caderno e passe tudo para o papel. Agora que está tudo escrito preto no branco, a sua cabeça pode descansar e deixar de estar constantemente a ter de se lembrar de tudo.
  3. Identifique o essencial. Infelizmente, enchemos muitas vezes a nossa mente com detalhes triviais e coisas completamente desnecessárias. Uma cabeça tranquila é aquela que foca apenas o essencial – pare para pensar nas coisas que são realmente importantes na sua vida e dê-lhes a devida atenção… uma de cada vez claro está.
  4. Eliminar. Agora que identificou o que é essencial, faça o inverso, identifique o que não é essencial na sua vida. Se não é relevante para si, não é essencial. Esqueça de uma vez por todas… tem coisas bem mais importantes em que pensar.
  5. Diário. Muito parecido com a sugestão “anotar” acima apresentada, esta vai um pouco mais longe, um pouco mais profunda. Manter um diário (seja num caderno ou num blogue online) irá ajudá-lo a explorar as diferentes áreas da sua vida, principalmente aquelas sobre as quais pensa pouco. Para além disso, esta descoberta vai ainda ser útil no sentido em que vai trazer ao de cima coisas que nem sabia ter em mente, algumas das quais vai poder analisar, outras simplesmente eliminar. Acima de tudo, só o facto de passar estes pensamentos da cabeça para o diário, é uma forma de desanuviar.
  6. Ritmos de sono. Por vezes dormimos de menos, outras vezes, demais. Os nossos ritmos de sono nem sempre são os ideais, por isso mesmo vale a pena reconsiderar a forma como dorme. A alteração de padrões de sono pode fazer maravilhas a qualquer mente cansada.
  7. Dê uma caminhada. Não há nada como sair para a rua, apanhar ar fresco e dar um passeio para pôr as ideias em ordem e descansar a mente. Não interessa o que fizer – jogging, regar o jardim, um passeio de bicicleta – o mais importante é que faça algum tipo de actividade física.
  8. Veja menos televisão. Deitar-se em cima do sofá em frente à televisão pode parecer, à primeira vista, muito relaxante. No fundo não o é. A televisão é mais uma fonte de ruído, uma verdadeira overdose de informação, ao invés dos benefícios calmantes de um bom livro, uma música tranquila ou uma boa conversa. Veja menos televisão e em pouco tempo vai reparar como o seu cérebro está mais sereno.
  9. Na companhia da natureza. Semelhante à dica 7, a diferença é a procura da natureza: um jardim, uma praia, um campo, um lugar tranquilo, sem a agitação das cidades. Há quem goste particularmente de apreciar a chuva, apontando-a como uma força simultaneamente calmante e regeneradora.
  10. Faça menos. Pegue na sua lista de afazeres e risque metade daquilo que está lá escrito. Escolha apenas 2 ou 3 tarefas para fazer hoje, focando-se apenas nessas. Esqueça o resto. Se fizer menos, terá menos em que pensar.
  11. Mais devagar. Pode parecer demasiado simplista, mas a verdade é que falar, andar, conduzir e comer mais devagar pode fazer a diferença entre uma mente caótica e uma mente sossegada. É como se afirmasse: não vou viver a vida a correr, pressionado pelos outros e um prisioneiro do relógio… vou viver ao meu ritmo. Um estilo de vida a baixa velocidade reflecte-se numa mente onde reina a quietude.
  12. Esqueça. Está preocupado com aquilo? Está zangado com ela? Frustrado? Cheio de ressentimentos? Embora todas estas emoções e pensamentos sejam 100% naturais, no fundo são também todos eles completamente desnecessários. Veja se consegue pôr tudo isso para trás das costas, esquecer de uma vez por todas. Sim, sabemos que é muito mais difícil do que parece, mas vale a pena o esforço.
  13. Organize o seu ambiente. Uma mente tranquila precisa de um ambiente igualmente sereno, o que significa que uma casa e/ou um escritório desarrumado é um caos visual que a sua mente assimila mais depressa do que você pensa.
  14. Uma coisa de cada vez. Vivemos num mundo multi-funcional, onde a corrida contra o tempo obriga-nos a fazer mil e uma coisas em simultâneo, mas sem grandes resultados em termos de produtividade e felicidade. Para variar, experimente fazer uma coisa de cada vez. Concentre-se completamente naquilo que tem em mãos e passe para a próxima tarefa apenas quando esta estiver concluída. Repita.
  15. Desabafe. Falar com alguém próximo e que saiba ouvir – o seu parceiro, melhor amigo, mãe, pai – é uma das formas mais eficazes de desanuviar a mente. Desabafe. Tudo. Depois devolva o favor. Apesar de ser apenas conversa, fará maravilhas à sua sanidade mental. Acredite.”
    Fonte: estadozen.com

Que problemas podem surgem ao consumir pouca água?

Quais problemas surgem ao consumir pouca água?

 “Manter uma hidratação correta é fundamental para o bom funcionamento de todo o organismo, como  muitas vezes mencionamos, é necessário consumir, ao menos, dois litros de água por dia, se ignoramos este importante hábito, estaremos nos expondo a problemas graves de saúde.
Depois de muitos estudos e pesquisas realizadas, pode-se demonstrar quequando não se consome as quantidade de água recomendadas e necessárias para o organismo, aumenta-se o risco de sofrer uma grande quantidade de problemas de saúde, sobretudo aquelas pessoas que devem realizar muita atividade física. As patologias mais frequentem que sofrem as pessoas por falta da hidratação correta, são aquelas que têm relação com os rins, além disso, pode-se sofrer também com problemas intestinais e circulatórios.

Outros problemas que podemos apresentar pela falta de consumo de água são as dores fortes de cabeça (como as enxaquecas), posto que o cérebro e os olhos não estão recebendo a água necessária; a falta de hidratação destes órgãos pode provocar uma severa inflamação nas partes internas e posteriores dos olhos, o que pode causar a perda da visão. Os sintomas de uma desidratação pode ser câimbras, dor muito forte de cabeça, sensação de cansaço, fatiga, fortes dores musculares e frequentes mudanças de humor.

As pessoas que realizam muitas atividades, seja no trabalho ou fazendo exercício, devem se hidratar com mais frequência e sem a necessidade de esperar sentir sede, visto que a falta de água no organismo pode ser a principal causa das cefaleias, a perda progressiva da mobilidade, câncer de cólon e bexiga, assim como também perda de grande parte da capacidade de entendimento e rendimento físico e mental.

A importância da água na digestão

A água é fundamental para que o intestino realize corretamente sua função, já que a falta de líquido torna a digestão muito mais lenta e por este motivo podem ocorrer acúmulos de dejetos ou fezes no intestino grosso, o que provoca a tão incômoda prisão de ventre. Se estes acúmulos permanecem muito tempo ali, causam inflamação e dores no cólon, nos casos mais graves podem apresentar infecções, o que recebe o nome de colite.

Benefícios do consumo de água na prevenção de doenças

Artrite

Artritis

Como já sabemos, a artrite é provocada pela alteração ou desgaste da cartilagem, que é o tecido que reveste as articulações e se encarrega de fazer com que os movimentos sejam muito mais suaves e não provoquem atritos entre os ossos. Até o momento se desconhece a causa da artrite e, além disso, não existe nenhum medicamento que a cure, já que somente são receitados medicamentos anti-inflamatórios e comprimidos para acalmar a dor.

Não obstante, é importante saber, principalmente as pessoas que sofrem com esta doença em maior ou menos grau de agressividade, que a causa de sua dor pode ocorrer em grande parte pela falta de hidratação, já que as cartilagens contêm uma grande quantidade de água para poder manter as articulações bem lubrificadas e isto permite que os ossos não se atritem entre si, conseguindo que os movimentos sejam muito mais suaves, sem causar os danos típicos da artrite.

Lombalgia

O que se disse sobre a importância da correta hidratação para prevenir problemas de artrite, é o mesmo que se recomenda para evitar dores de coluna, já que as articulações vertebrais requerem água para manter suas funções e evitar fricções entre os discos vertebrais.

Enxaqueca

Migraña

 

Na maioria dos casos a enxaqueca é causada pela falta de hidratação, já que essa se deve especialmente à incapacidade do corpo de poder regular a temperatura e por esta razão os vasos se dilatam, provocando as fortes dores de cabeça. Neste caso, deve-se tomar um bom copo de água fria, para baixar a temperatura corporal, se nos hidratamos de maneira constante certamente não apresentaremos nenhum ataque de enxaqueca (se a causa for hidratação, é claro).

Depressão e fatiga crônica

Depresión

 

Em geral, a depressão é causada pelo estresse que regularmente é devido à infinidade de problemas tanto familiares como profissionais que administramos diariamente.

Unidos à depressão podemos nos deparar com a tristeza e angústia, que podem ser causados pela falta de água no organismo, especialmente no cérebro, já que esse requer energia para funcionar, a qual é gerada dentro do corpo. Portanto, se não estamos suficientemente hidratados e com frequência o corpo não pode gerar a energia que o cérebro necessita, seu funcionamento será ineficiente.

Lembre-se…

Portanto, devemos enfatizar que a correta hidratação é a maneira mais simples e eficaz para manter a saúde de todos os órgãos do corpo e, portanto, ter uma vida mais plena e tranquila. Estes são motivos mais que suficientes para não deixarmos a garrafa de água de lado, temos que estar cientes das recomendações anteriores se queremos manter a qualidade de vida excelente durante muitos anos e sem importar a idade.”
Fonte: http://melhorcomsaude.com/