Acupuntura como meio eficaz no tratamento da cervicalgia crónica

Acupuncture  “A dor na região da coluna vertebral, situada entre os ombros e a base da cabeça (osso occipital), com eventual irradiação para a cabeça, omoplata, membros superiores ou coluna dorsal é conhecida como cervicobraquialgia ou cervicalgia, em linguagem corrente as queixas são de dor no pescoço e rigidez.

A região cervical está composta por 7 vértebras e oito raízes nervosas, que podem ser acometidas por vários factores dando assim origem a esta patologia.
Os sintomas mais comuns são dor e rigidez na região do pescoço, onde o paciente pode desenvolver posturas inadequadas, levando a um processo inflamatório difuso, devido à falta de tratamento, que por vezes irradia por todo o membro superior.

18586_acupuntura
Na justificativa médica moderna as causas comuns da cervicalgia, são: sobrecarga nos membros superiores, como trabalhos forçado e repetitivos, enfermidades degenerativas, desordens mecânicas e sobrecarga emocional. Quadros Persistentes de cervicalgia, devem ser investigados quanto à eventual origem neoplásica.
Ao aprofundar os conceitos inerentes, pela visão da Medicina Tradicional Chinesa para esta patologia temos:

  • Idade avançada e excesso de trabalho, levam a uma Insuficiência de Yin do Rim, com má nutrição dos ossos e osteoartrite e leva á irradiação da dor e restrições na amplitude do movimento do pescoço. Em pacientes mais idosos, o quadro degenerativo produz calcificações discais, formando hérnias com dores que se agravam lentamente.
  • Situações muito comuns dos dias de hoje, como alterações emocionais, gerados por stress e pressão diários no trabalho, agem sobre o fígado causando estagnação. Alterações psicossomáticas, como raiva e represamento dos sentimentos, também consomem o Yin, afectam o Fígado e levam à cervicalgia por Insuficiência de Yin do fígado e do rim, podendo levar à má nutrição dos tecidos moles, hérnia discal e osteoartrite.
  • Temos ainda factores externos, como a síndrome do chicote, comuns em acidentes de automóvel a baixa velocidade, em que o mecanismo de aceleração e desaceleração transfere para a cervical fortes impactos, afectam e lesionam as partes moles e até geram lesões ósseas e articulares.
  • Síndrome com espasmo muscular por obstrução dos meridianos, devido à invasão do vento frio também pode conduzir à cervicalgia.

A acupunctura trata-se de um recurso adicional ao tratamento convencional, pois após alguns tratamentos foi constatada uma redução significativa da intensidade da dor, do consumo de analgésicos, e das desordens do sono, entre outros factores, com resultados visíveis logo após a primeira sessão.

Fonte:Júlia Conceição
Acupunctora”

fotos-cervical1-765x510

Anúncios

Dores nas costas: a quem recorrer?

“Entre ortopedistas, fisioterapeutas, quiropráticos, osteopatas e massagistas pode ser difícil saber a quem pedir ajuda. Siga o nosso mapa.

 Estima-se que 7 em cada 10 portugueses sofram de dores nas costas. As consequências deste mal vão muito além do desconforto pessoal: a abstinência laboral é o principal efeito colateral mas está longe de ser o único:  num estudo recente estimava-se que 14% de britânicos abdicavam das relações sexuais por causa das dores nas costas e 9% confessava já não ser capaz de brincar com os filhos ou subir escadas.

Mau humor, angústia e depressão são outras consequências associadas a este problema. Ignorar estoicamente a dor não é boa ideia, porque tende a agravar-se com o tempo.
Posturas inco2014-04-17-Dores-nas-costasrretas, manuseamento de pesos, esforços físicos intensos, quedas e acidentes são as principais causas de dores nas costas.

idade é outra. Com o passar dos anos é normal aparecerem artroses, um desgaste progressivo das articulações que pode causar a diminuição de espaço entre as vértebras e um estreitamento progressivo do canal central da coluna. Os nervos comprimidos neste processo estão na origem da dor. Outra causa comum de problemas nas costas são as alterações estruturais da curvatura natural da coluna, sobretudo a escoliose.
É consensual que a prevenção e os tratamentos conservadores são sempre preferíveis à cirurgia. Controlar o aumento de peso e fazer uma reeducação postural é o primeiro passo. Ao contrário do que possa pensar, a atividade física é altamente recomendada.

O sedentarismo é pior para as costas do que o exercício, que ajuda a mobilizar as articulações e a oxigenar os tecidos. O objetivo é evitar a cirurgia, indicada em casos extremos para descomprimir as estruturas nervosas.

Quando deve preocupar-se?

“Numa parte significativa dos casos, as dores nas costas melhoram gradualmente com tratamentos simples ou medidas caseiras, acabando por desaparecer completamente ao fim de algumas semanas, com melhorias logo nas primeiras 72 horas. Quando isto não acontece, deve fazer-se uma avaliação médica porque pode ser um sinal de outra condição mais grave”, aconselha o médico de clínica geral Pedro Lopes, responsável pela rubrica ‘Médico de Família’, na SIC.
Procure o médico se a dor:
– For constante ou intensa, especialmente à noite ou quando deitada;
irradiar para um ou ambos os membros inferiores, especialmente quando se estender abaixo do joelho;
– Provocar fraqueza, entorpecimento ou formigueiro em um ou ambos os membros inferiores;
– For acompanhada de perda de peso inexplicável;
– For acompanhada de inchaço ou vermelhidão nas costas.

Os exames, como a TAC, Raio X e ressonância magnética, ajudam a localizar o problema e a fazer o diagnóstico certo. Hérnias discais ou cervicais, calcificações (como os chamados bicos de papagaio) e contraturas musculares são assim rapidamente identificadas e localizadas. O tratamento passa geralmente pelo uso de medicamentos para a dor. Se necessário, o médico poderá aconselhar sessões de fisioterapia ou de reeducação postural.

Algumas alternativas do campo da medicina não convencional também podem ajudar em casos específicos, diz Pedro Lopes: “O recurso à manipulação da coluna tem vindo a ganhar notoriedade nos últimos anos, embora sejam técnicas desde há muito conhecidas e com benefícios demonstrados, desde que feitas por profissionais habilitados e experientes.”
Fisioterapia
Faz parte da medicina convencional.  Geralmente faz-se por encaminhamento do médico assistente, ortopedista ou fisiatra, que fazem uma avaliação clínica detalhada e prescrevem os exercícios a fazer pelo fisioterapeuta.Problemas como hérnias discais não têm resolução, para além da cirurgia, mas a fisioterapia pode ajudar a descomprimir as articulações e a diminuir contraturas musculares. Uma grande vantagem da fisioterapia é ser comparticipada e estar incluída na maioria dos seguros de saúde.

Osteopatia

Esta terapia manual tem como princípio tratar o corpo como um todo, razão pela qual muitas vezes os osteopatas manipulam zonas do corpo longe da que lhe causa dor. As  técnicas incluem manipulações, mobilização e estiramentos, atuando nas articulações, músculos e ligamentos, órgãos internos (abdómen e tórax), tecido nervoso, vascular e linfático, tudo com o objetivo de restabelecer o equilíbrio orgânico. “O tratamento osteopático permite ao paciente conseguir uma postura correta e recuperar a harmonia corporal, promovendo o bem estar. É um trabalho muito preventivo e muito eficaz como complemento de práticas médicas”, garante Pedro Lopes, lembrando que é uma terapia reconhecida nalguns países, como a França. Tem indicação em caso de contraturas musculares, dores articulares, tendinites, dor de cabeça, dor de costas, dores agudas causadas por stresse, dores crónicas, asma… Ao contrário do quiroprático, o osteopata trabalha o corpo todo e não apenas a coluna vertebral. Três ou quatro sessões com intervalo de uma semana podem aliviar uma ciática. Preço: ronda os e50/sessão.

Quiroprática
Esta técnica usa apenas a manipulação da coluna vertebral com o objetivo de recuperar a capacidade motora e melhorar a resposta do sistema nervoso. O princípio subjacente é de que o realinhamento de vértebras e da postura influencia diretamente o sistema nervoso, que tem efeitos positivos na imunidade geral. Tem indicação para problemas cervicais, dorsais e lombares, dores agudas e crónicas e ciática. A dor decorrente de deficiências posturais, como lordoses, cifoses e escolioses, também pode ser tratada, assim como entorses. Duas ou três sessões ajudam a melhorar uma crise aguda, recomendando-se depois uma ou duas sessões anuais de prevenção. A federação mundial de quiroprática é parceira da OMS. Preço: ronda os e40-50/sessão.

Terapia Dorn-Breuss

O método Dorn de alinhamento da coluna foi criado pelo alemão Dieter Dorn, nos anos 70. A massagem Breuss, criada pelo austríaco Rudolf Breuss, é usada como complemento para aliviar a dor e a tensão, promovendo um estiramento profundo da coluna. “Este método conjuga duas técnicas: o método de Dorn, através do qual o terapeuta corrige desvios da coluna, e a massagem de Breuss, uma massagem suave em volta da coluna que é aplicada antes de se proceder ao realinhamento”, explica Pedro Lopes. Preço: e40-50/sessão.

Terapia de Bowen
Criada pelo australiano Tom Bowen nos anos 50, esta terapia manual trabalha ao nível da fáscia – membranas que envolvem os músculos – e dos ligamentos, ativando o sistema nervoso simpático, o que promove uma sensação profunda de relaxamento. Em vez de manipular a coluna, a terapia de Bowen trata os problemas das costas através dos músculos e das fáscias que mantêm a coluna numa determinada posição. O princípio é o de que alterando a relação entre músculo e fáscia altera-se a estrutura e influencia–se a coluna. Os movimentos Bowen  são feitos de forma leve sobre a pele e em locais precisos, alguns coincidem com os meridianos da acupuntura. Recomendam-se quatro a seis sessões para o tratamento de dores nas costas. Preço: entre €30 e €40/sessão.
http://www.apt-bowen.pt.

Alguns conceitos
Ciática 
Quem tem, sabe bem como é esta dor que irrradia ao longo do nervo ciático, geralmente devido a uma hérnia discal ou uma calcificação que comprime parte do nervo. Também pode ocorrer na gravidez, quando o útero comprime o nervo ciático. A dor estende-se das costas até à perna, podendo passar o joelho e causar dormência na perna.
O tratamento convencional passa por tomar anti-inflamatórios, relaxantes musculares e fisioterapia ou em caso extremo injeção de esteroides.
Espondilose
É uma fratura de stresse na coluna lombar que pode ser causada por lesões desportivas ou acidentes. Por vezes curam-se por si mesmas, mas mais tarde, com o envelhecimento articular, podem regressar. Causa dor, que se estende ao longo da lombar e pode originar espasmos e contraturas musculares. Se houver o deslocamento de uma vértebra, pode originar uma ciática, devido à compressão de nervos.
O tratamento pode implicar o uso de colete durante algum tempo, injeções para as dores e fisioterapia. Em casos extremos uma cirurgia pode ser necessária.

5 atividades boas para as costas 

Massagens: Sejam  terapêuticas, desportivas, de relaxamento, ayurvédicas, shiatsu ou de outro tipo, as massagens podem ser bastante úteis no caso de contrataras.

Yoga: Há estudos que mostram que tem benefícios na flexibilidade e fortalecimento de músculos e ligamentos, ajudando a eliminar limites na realização de tarefas diárias.

Natação: A ausência de impacto torna-o no exercício quase perfeito para quem tem problemas de coluna. A única exceção vai para quem tenha limitações na coluna cervical.

Pilates: Desenvolve os músculos primários da barriga e das costas que são essenciais para a postura.
Tai Chi: Esta técnica milenar asiática, baseada em movimentos lentos e precisos, é uma boa opção para fortalecer a postura e contribuir para a redução da dor crónica.”

Fonte: http://activa.sapo.pt/

Torcicolo

“O torcicolo manifesta-se sob a forma de contracções involuntárias dos músculos do pescoço, levando a posturas e movimentos
anormais da cabeça.

Um torcicolo é sempre um sintoma originado por outra disfunção e nunca uma disfunção em si.image385

As contracções involuntárias, ou espasmos musculares, característicos do torcicolo, podem resultar de qualquer lesão ou inflamação da musculatura cervical, principalmente do esternocleidomastoideu, da compressão dos nervos que saem da espinhal medula ou de disfunções articulares da coluna cervical (hérnia discal cervical, síndrome das facetas interapofisárias).

Menos frequentemente o torcicolo também poderá ser secundário a uma infecção que envolva tecidos adjacentes ou estruturas do pescoço, incluindo faringite, amigdalite, sinusite, otite média, mastoidite, tuberculose, abscesso nasofaríngeo, infecções respiratórias e pneumonias do lobo pulmonar superior.

A maioria dos pacientes com torcicolo não consegue descrever o que originou os sintomas ou refere que surgiram depois de dormir numa posição desconfortável. No entanto existem actividades da vida diária, que, se realizadas de forma repetitiva, podem contribuir para um torcicolo. Estas incluem: a má postura (curvado para a frente), especialmente durante o sonoou sentado, actividades utilizando os braços à frente do corpo (como lavar pratos ou conduzir) e elevação de pesos acima da altura da cabeça.Ocasionalmente, um torcicolo pode ocorrer após um movimento trivialenvolvendo flexão ou rotação do pescoço.

O torcicolo agudo desenvolve-se frequentemente durante a noite e resulta em dor e espasmos no pescoço palpáveis na manhã seguinte. Os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente dentro de alguns dias e não duram mais do que 1-2 semanas.

SINAIS E SINTOMAS/ DIAGNÓSTICO

  • Dor e rigidez do pescoço
  • Diminuição da amplitude de movimento
  • O início é geralmente súbito.
  • O paciente apresenta-se com a cabeça inclinada para o ladoafectado e o queixo apontado em direcção ao ombro oposto.

Uma história completa e exame físico são necessários para identificar as causas do torcicolo, e diagnosticar a patologia inerente a este. A faringeposterior deve ser examinada para detectar sinais de inflamação ou infecção.O pescoço deve ser palpado para identificar massas, adenopatias, ou sensibilidade localizada. Um exame neurológico completo deve ser realizado, incluindo testes de força, deficits sensoriais. Exames adicionais com a TAC ou RM poderão ser indicadas para despistar outro tipo de patologias.”